A Marcha Também ocupou a praça.

A revolução será feminista ou não será!!
Nem oprimidas pelo patriarcado nem exploradas pelo capitalismo
Nós da MMM-RS também ocupamos a praça da Matriz (Júlio de Castilho) em Porto Alegre nesse 15 de outubro!
Para nós agora é o momento de uma retomada às ruas por liberdade, numa demonstração de indignação e de rejeição aos cortes sociais e a dominação capitalista patriarcal.
 

O mundo não é uma mercadoria – e as mulheres também não!

 

Nesse #15O temos que refletir sobre a importância de vencermos e superarmos profundamente a visão de propriedade privada sobre a vida, corpos e almas.

Temos que vencer o patriarcado. Temos que vencer a alienação existente sobre nossos corpos, sobre a natureza, porque o capitalismo e o patriarcado se baseiam em uma sociedade que fragmenta tudo, toda a vida.

 

O capitalismo aprofundou a divisão sexual de trabalho.

Para nós da MMM está claro que um dos pilares do neoliberalismo é a utilização do tempo das mulheres como variável de ajuste, ou seja, ele é visto como elástico, um recurso inesgotável. A exploração do tempo e do trabalho das mulheres, combinada com a não responsabilização do Estado e dos homens com esse trabalho, produziu uma crise dos cuidados.

Precisamos de novas formas de viver as nossas relações, na família, nas ruas, e também nas organizações populares que vão surgindo neste ambiente de transformação neste novo tempo histórico insurgente.

 

Avanços econômicos e sociais no Brasil

Reconhecemos os avanços econômicos e sociais que conquistamos no Brasil e nos levantamos para defendê-los e ampliá-los:

# Nos levantamos pela democratização da comunicação, pela liberdade de expressão e por uma novo marco regulatório para a mídia no Brasil;

# Nos levantamos por uma internet livre, com neutralidade e na defesa do Marco Civil da Internet;

# Nos levantamos pela defesa de um sistema de saúde pública gratuito, de acesso universal e de qualidade;

# Nos levantamos na defesa do meio ambiente, por soberania alimentar e energética;

 

E mais, vamos levantar nossas bandeiras contra:

# o atual sistema financeiro global, responsável pela crise que assola o planeta, queremos uma economia a serviço das pessoas. Nos levantamos por mais democracia e por participação popular direta nas decisões dos governos;

# contra a corrupção, pelo afastamento e punição dos corruptos e dos corruptores;

# contra o sexismo, o machismo e contra qualquer discriminação, preconceito, racismo, lesbofobia;

# contra a mercantilização da natureza e dos bens comuns;

# contra a criminalização das mulheres e dos movimentos sociais;

# contra a criminalização do aborto e pelo direito das mulheres de decidirem sobre seu corpo.

  Mais

DEMOCRACIA REAL

No próximo dia 15 de outubro, jovens do mundo inteiro pretendem acampar nas praças de suas cidades exigindo Democracia Real. A inspiração vem dos acampamentos no Egito, na Espanha e, mais recentemente, em Nova York, com o movimento Ocupa Wall Street. Agora, os espanhóis do movimento Democracia Real Yaestão convocando pessoas do mundo inteiro para participar do Dia Mundial de Acampamentos em Praças, em 15 de outubro. Em Porto Alegre, o chamado foi atendido pelo movimento juntos que, em parceria com outras entidades, já está trabalhando na organização de um acampamento na Praça da Matriz (foto), no centro da cidade. O movimento é uma iniciativa do PSOL, mas é aberto a qualquer pessoa que quiser participar, independentemente de filiação partidária.

Segundo os organizadores da atividade em Porto Alegre, todos que quiserem participar do acampamento devem se encontrar no Monumento do Expedicionário (Parque da Redenção), às 13 horas. De lá, todos sairão em caminhada até a praça da Matriz, onde será montado o acampamento. Durante o dia está programada uma intensa programação cultural, com oficinas, debates e pocket shows. No domingo pela manhã, o movimento voltará em passeata para a Redenção, onde será encerrado o ato.

15 de outubro:
Porto Alegre por Mudanças Globais

http://softwarelivre.org/branco/blog/15-de-outubro-porto-alegre-por-mudancas-globais

No dia 15 de outubro, pessoas do mundo todo tomarão as ruas e as praças. Do continente americano à Ásia, da Africa à Europa, as pessoas estão se levantando para reclamar os seus direitos e pedir uma autêntica democracia, uma democracia real. Agora é o momento unirmos todos em um protesto não violento em escala global.

Com o mesmo espírito de unidade que construímos o Fórum Social Mundial como referência mundial aqui em Porto Alegre e a rica experiência de democracia direta do orçamento participativo, estamos sintonizad@s com a energia das novas dinâmicas sociais em rede que tem mobilizado milhões de pessoas no mundo todo. Convocamos tod@s @s gaúch@s para ocuparem as praças no próximo sábado dia 15 de outubro.

Nos levantamos também pela volta do Fórum Social Mundial para Porto Alegre.

Nos levantamos contra o atual sistema financeiro global, responsável pela crise que assola o planeta, queremos uma economia a serviço das pessoas. Nos levantamos por mais democracia e por participação popular direta nas decisões dos governos. Nos levantamos contra a corrupção, pelo afastamento e punição dos corruptos e dos corruptores. Reconhecemos os avanços econômicos e sociais que conquistamos no Brasil e nos levantamos para defendê-los e ampliá-los. Nos levantamos pela democratização da comunicação, pela liberdade de expressão e por uma novo marco regulatório para a mídia no Brasil. Nos levantamos por uma internet livre, com neutralidade e na defesa do Marco Civil da Internet. Nos levantamos em apoio as lutas em andamento de tod@s @s categorias profissionais. Nos levantamos pela defesa de um sistema de saúde pública gratuito, de acesso universal e de qualidade. Nos levantamos contra qualquer discriminação, preconceito, racismo, homofobia, sexismo, machismo. Nos levantamos na defesa do meio ambiente, contra a mercantilização da natureza.

Dia 15 de outubro, sábado, nos encontraremos ás 13 horas no Brique da Redenção e caminharemos até a Praça da Matriz para uma marcha pela mudança global que queremos. A manifestação será pacífica, debateremos e nos organizaremos até alcançarmos.
É hora de unir-nos. É hora sermos ouvid@s.

CARTA DE APOIO A SPM

Nós, da Marcha Mundial das Mulheres, expressamos nosso apoio à Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SPM), especialmente à Ministra Iriny Lopes, pela posição firme, destemida e comprometida com a construção da igualdade entre homens e mulheres.

A contestação e pedido de suspensão junto ao CONAR da propaganda da Hope foi uma medida assertiva por parte desta Secretaria. A construção da SPM e SEPPIR, ainda no governo Lula, afirmou o avanço na compreensão de que o combate às desigualdades de gênero e raça é obrigação do Estado. Mais